terça-feira, 24 de janeiro de 2012

MOVIMENTO FEMINISTA

Técnicas de lavagem cerebral praticadas pelas feministas
JORNALISTA: MÁRCIO DE ANDRADE
As feministas são seres robotizados, seus cérebros transformaram-se em cérebros eletrônicos e responde tudo aquilo que lhes foram programadas. Uma técnica de lavagem cerebral, em que o individuo se torna insensível a critica e quando são questionadas, elas se tornam um disco arranhado e não deixa o outro falar. Isso corresponde à imagem de um robô.

As feministas sofreram uma lavagem cerebral e quer passar os seus vírus (como do computador) para a geração mais nova. É a negação do outro (os homens) desequilibrando o conceito social e familiar. Tornou-se um instrumento de guerra, a “lavagem cerebral” e o seu antídoto é a desprogramação. Ou seja, as mulheres e principalmente as gerações mais novas, têm que parar de acreditar na ideologia feminista, pois todos estão sofrendo, mulheres e homens. 

Existem mulheres que querem ter relacionamentos sérios com homens, mas elas foram tão contaminadas, que quando conhecem alguém do sexo oposto, fica sempre na defensiva, desconfiada e acaba mal tratando os homens. 

A mulher tem medo dos homens, por isso, termina o relacionamento antes mesmo de começar. Isso tudo, porque a mulher sofreu “lavagem cerebral”, ou seja, foi “contaminada”. Essa contaminação atinge mulheres de todas as classes, com instrução ou não, sofrem o mesmo parâmetro.

Quando contraria uma feminista sobre as suas crenças, ativará nela um reflexo devido ao seu comportamento condicionado e ela vai vender o discurso do feminismo como se estivesse ligado a um gravador. Insensíveis a criticas, não deixará o outro falar. 

O livro de bolso, da coleção Primeiro Passos, com o tema: “o que é propaganda ideológica”, fala que para um grupo obter poder basea-se sempre no passado. Usa o passado como referencia para justificar os atos banais e bárbaros nos dias atuais. Os historiadores, antropólogos, cientistas sociais, etc não estão preocupados com a verdade. 

Se a historia não corresponder com a sua necessidade, cria uma “realidade paralela”, criando símbolos e fazer propagandas em cima delas. O sistema educacional não foi feito para instruir as pessoas, e sim são “formadores de quadrilha”, criando assim um pequeno exército para defender interesses de certos grupos.
As frases: “quem nunca ouviu falar da chacina das operárias, que exigiram melhores condições de trabalhos”. Quantos homens foram assassinatos desde a antiguidade para ter as melhores condições de trabalho? 

“Quem nunca leu nada sobre as mulheres que queimaram os sutiãs”. Isso no jornalismo é chamado de “circo”. Foi provocado pelo governo para desviar atenção dos problemas sociais o nome disso é “efeito paravento”. Jogaram as mulheres contra os homens, para esquecerem os problemas de desemprego, baixo salário, péssimo condições de transporte, etc. 

A lavagem cerebral faz com que a pessoa só vê um lado da história e ignora totalmente o outro lado. Uma feminista fanática diz: “em períodos de guerras, nós mulheres que mais sofremos. Sofremos estupros, morrem os nossos filhos e maridos, etc”. Elas são tão cegas nos seus pensamentos que não enxergam que os homens também são vitimas nas guerras, que todo mundo é assassinato, sem distinção. 

As mulheres que não querem ceder aos tais movimentos são consideradas traidoras, ignorantes, capacho de homens, etc. Mas o efeito da propaganda ideológica, muita das vezes tem progresso. Muitas mulheres são feministas e não sabem e tem um comportamento rudi e elementar contra o homem. 

“O fanatismo é criado para defender interesses das feministas, que obedecem sem questionar. Recuperar uma fanática é muito difícil é como querer recuperar um viciado em drogas”.
Mas como funciona a técnica de lavagem cerebral? Uma coisa que tudo mundo fala, mas não sabe como funciona. Existem dois tipos de mente: objetiva e subjetiva. 

A primeira é mente consciente, onde o individuo tem controle de si mesmo. A segunda onde fica a nossa memória, todas as nossas emoções, medos, alegria, etc. Nós não temos controle sobre ele, a mente subjetiva é involuntário e obedece tudo aquilo que é ouvido, na verdade isso é técnica de hipnotismo, obedecendo todos os estímulos externos. Por isso, é extremamente necessária a volta da censura nos meios de comunicação. 

Muitos estão odiando o movimento feminismo, porque estão sendo consideradas inimigas da família, da natureza (pois rejeitam o papel que lhes és dado, ou seja, da maternidade) e da sociedade. Conseguem provocar brigas nos lares, casamentos desfeitos e crianças crescendo problemáticas, que no futuro serão problemas para a sociedade.

Propaganda ideológica

O livro o que é propaganda ideológica diz: “a propaganda ideológica, ao contrário, é mais ampla e mais global. Sua função é a de formar a maior parte das idéias e convicções dos indivíduos e com isso orientar todo o seu comportamento social”. Gerado através dos meios de comunicações, as feministas divulgam as suas idéias pelo mundo e a população não percebe que estão sendo vitimas de uma propaganda ideológica. Com isso ocorrem divórcios, separações, brigas familiares, adultérios, crianças nascendo problemáticos (que no futuro entrarão nos vícios das drogas e homossexualismo), aborto, etc.

São grupos de feministas que precisa de apoio e participação de outras mulheres para a realização das suas idéias, objetivando persuadi-las e direcioná-las a certo caminho. Com isso as feministas conseguem controlar a mídia, manipulando o conteúdo das mensagens, deixando passar algumas informações e censurando outras, de tal forma que só é possível ver e ouvir aquilo que lhes interessa. É uma técnica de lavagem cerebral tão bem feita, que as mulheres não percebem que foram contaminadas, por esse tipo de idéias, que interferem nas suas opiniões e visão de mundo sem que elas percebam disso.

Algumas absorvem as idéias imediatamente e outras não, precisam de mais tempo de surtir efeito, mas esse tipo de propaganda é um tipo de bomba relógio. É somente questão de tempo! Em conseqüência disso, a mulher trai o marido, casamentos mais de 20 anos se separam, a mulher rejeita os filhos, a mulher não deixa o pai ver os filhos, etc. 

Então as mulheres são condicionadas a agir de certa maneira, mas as vitimas não percebem isso, e elas chegam até pensar que escolheu esse pensamento livremente. Muitas mulheres são feministas e não sabem disso, procuram destruir os homens através das emoções e pior de tudo não tem consciência dos seus atos, justificam os seus atos, achando muito das vezes que estão corretas. Pessoas vitimas de lavagem cerebral, defenderá os seus “lideres” e nunca admitira que foi manipulada por essas tipos de mulheres. 

Visando um mundo de “igualdade” entre os sexos, as feministas, incutem nas mulheres idéias e princípios fundamentalistas, mudando totalmente a percepção e a sua história. Colocando-se como vitimas dos homens, elas conseguem mais direitos e poderes políticos, tornando-se verdadeiras ditadoras. Muitas chegam ao extremo, querendo o extermínio do sexo masculino, pregando ódio e que deveriam existir somente mulheres no mundo. Os homens são seres inferiores e por isso, tem que torná-lo como submissos e seres irracionais. 

O controle ideológico é feito de frases curtas, compreensíveis e memoráveis, com slogan “homem não presta”, “homem é infiel”, etc. Essas palavras são repetidas varias vezes por dia pelos meios de comunicação, procurando atingir número máximo de pessoas, principalmente as mulheres. 

O programa “Super Pop” exibido pela Rede TV, pela Luciana Gimenez, é um tipo de programa voltado exclusivamente aos homossexuais. Seu objetivo, desmoralizar os homens, dizendo que os heteros são gays enrustidos e as mulheres são prostitutas. Durante anos foram realizados quadros “teste de fidelidade”, em vários programas de televisão, objetivando mostrar que os homens eram seres infiéis. Nos intervalos faziam enquetes para o público, perguntando “quem são mais inteligentes, homens ou mulheres”, “quem são mais fiel, homens ou mulheres”, etc. 

Depois fazem um contra propaganda, dizendo que a propaganda não muda a percepção e a opinião das pessoas. Quando disser para a mulher que ela foi vitima de uma propaganda, ela não acreditará e dirá: “propaganda não fez a minha cabeça, eu penso por conta própria, está me chamando de burra?”.
Esse tipo de propaganda ideológica é universal da doutrina feminista. Algumas pessoas chamam-na de “feminazistas” sendo comparada a ideologia nazista. “Heil Woman”. 

Feminismo e Democracia

A democracia é um instrumento que cada pessoa ou grupos utilizam para chegar ao poder. Os conceitos de “liberdade”, “igualdade”, “justiça” e outros, são realidades construídas e na prática nunca existiram.
São pequenos grupos na sociedade, que manipulam a maioria e usam a “democracia” (pode disser que é sinônimo de propaganda ideológica) para obter o poder político. A democracia é ambígua, fala que é para defender o interesse da população, mas na realidade as feministas objetivam o poder. 

Todos os dias através dos meios de comunicação cita que o Brasil é o pior lugar do mundo, “os brasileiros são hipócritas”, “morre mais pessoas no Brasil do que no Iraque”, “Brasil é um país machista”, etc. Usam esses slogans, para que a sociedade ceda e fazer a vontade daqueles que está divulgando a propaganda ideológica. 

Com isso a população sente culpada e as pessoas acabam cedendo a tais apelos. As feministas distorcem a história e deforma a realidade social presente, falsificando o passado. A frase: “quem controla o passado, controla o presente”. Existe nos dias atuais uma censura muito forte sobre o passado. 

Os antropólogos, jornalistas, historiadores, etc diz: “não estamos preocupados com a verdade e sim construir ícones e fazer propaganda em cima disso”. Ou seja, se a história não responde as suas necessidades, cria uma historia paralela e faz uma propaganda em cima disso. “Fazer uma propaganda massiva nas mentes das populações, para que quando ouvir uma coisa contrária, não acreditar”
.
O passado torna referência para tudo nos dias atuais, pegam o contexto do passado e utilizam para os dias atuais. Para justificar o homossexualismo falam “os gregos eram todos homossexuais”, “era normal o bissexualismo”, “era normal homem com homem e mulher com mulher”, na realidade isso é apenas uma propaganda, porque os homossexuais não têm relação com pessoas de sexo oposto. 

Então a frase “os homens deitavam com as mulheres somente para a procriação” é também uma propaganda. As feministas mentem para conseguir atingir os seus objetivos, dizendo que as mulheres no passado eram tratadas como inferiores, que os homens tinham o poder de vida e morte sobre as mulheres.

Na realidade tanto os homens e mulheres tinham direitos e deveres, mas as feministas só falam dos deveres das mulheres, e não citam que elas tinham direitos. Em muitas sociedades o homem que não cumprisse o papel de chefe de família era preso ou condenado à morte. Se o marido não cumprisse as suas obrigações, a mulher poderia pedir o divórcio e o homem perderia os seus bens para a mulher. Em certas sociedades, como na Índia, África e Oriente, as mulheres poderiam ter vários maridos. Existia “harém” dos homens, mas muitos pensam que era só de mulher, e assim por diante. 

Para difundir a doutrina feminista, criam símbolos, um sinal que resume a sua ideologia e é usado diretamente nos jornais, bandeiras, distintivo nas roupas, panfletos, objetivando difundir a sua filosofia e forma mais rápida e direta. 

Feminismo ou Lesbianismo

As únicas instituições que são preocupadas com as famílias são as religiões, “as famílias são a base da sociedade, quem controla as famílias controla a sociedade”. Para conseguir o poder as feministas separam as famílias para conseguirem mais adeptas, pois nos E.U.A existe um slogan: “separe o homem da sua mulher e da família, tomando tudo dele, e ele ficará calmo feito cordeiro”, ou seja as feministas são armas do poder político, para controlar a sociedade mais facilmente, destruindo o homem através da emoção. 

A partir daí, nasce à violência contra a mulher, ou o homem acaba cometendo suicídio. Depois a mulher destruir com o homem, elas vão começar a destruir entre si, ficando muitas das vezes com problemas psicológicas e ainda ensinará para a sua filha que homens não prestam, criando assim um circulo vicioso. 

Na realidade o feminismo não visa igualdade entre os sexos, é uma doutrina lesbiana. As lésbicas junto com homossexualismo masculino visam destruir o heterossexual, pois quando uma pessoa decepciona com o sexo oposto (tanto homem e mulher) tem uma forte tendência de se tornar homossexual. 

Entrevistei várias pessoas que são hetero (homens e mulheres) e obtive uma resposta surpreendente, 90% dos entrevistados dizeram que já se masturbaram pensando na pessoa do mesmo sexo e já tiveram curiosidade de praticar o homossexualismo, mesmo sendo hetero. 

Isso significa que foi fruto de uma propaganda ideológica, muitos se tornaram gays e aqueles que não se tornaram fica numa dúvida muito grande e ocorrem até mesmo crises existenciais.

O individuo preocupado em se tornar gay, sofrerá uma paranóia muito grande, desenvolvendo T.O.C, Transtorno Obsessivo Compulsivo, que são pensamentos fortes e repetitivos ocasionando no individuo crises de aflições. É uma doença que provoca muito sofrimento, mesmo o individuo realize o que esta pensando (nesse caso homossexualismo, com a intenção de se livrar dos pensamentos obsessores) não desaparecerá o sintoma, aparecerá outros mais fortes, levando-o à loucura. 

Muitos ainda consideram o homossexualismo é uma doença, por isso, não querem que fazem o tratamento para não diminuir o número de adeptos. Porque se oferecer tratamento, haverá uma diminuição do grupo, então eles ficarão enfraquecidos, não conseguindo os tais objetivos.
Então as feministas utilizam à mídia e combatem ridicularizando aqueles que propagam ideologias contrárias as suas.
O Segredo do Poder das Mulheres

O homem tem mais força física do que a mulher, isso ninguém questiona. É um fato! Mas, para compensar a sua fraqueza, a natureza lhe deu uma arma poderosíssima: A sedução. 

A técnica da sedução foi utilizada por séculos pelas mulheres, com isso derrubaram reis, governos, destruição dos exércitos inimigos etc. Em períodos de guerra, quem mais mata, não são os homens e sim as mulheres. Elas seduziram generais, governos, políticos, etc para obter informações e passa para os inimigos. Muitas vidas foram sacrificadas por causa disso, então as mulheres tem a necessidade de culpar sempre o homem, para ela se livrar do sentimento de culpa. 

A técnica é muito bem planejada, todos os dias nos meios de comunicações, aparecem mulheres bonitas e semi nuas, despertando o desejo sexual nos homens. Por fatores culturais as mulheres com ajuda da mídia, descobriram que podia controlar os homens através do sexo. Pois, infelizmente o homem tem somente sexo na sua mente. 

Baseado nisso, a mídia exibe corpos de mulheres exuberantes, deixando os homens excitados, fazendo-os ter mais desejo sexual. Nos homens incentivam o sexo e nas mulheres faz ao contrário, reprimem o sexo dizendo: “os homens só pensam em sexo”, “ele quer fazer de você, objeto sexual”.

A mulher ouvindo tais apelos cede à propaganda e pára de ter relações sexuais com os seus maridos e companheiros. As feministas fazem à cabeça das mulheres, que elas não devem satisfazer os seus maridos, que deve satisfazer a si mesma. 

No homem é ao contrário, como ele foi excitado por ver mulheres semi nuas na televisão, jornais, revistas, etc, ele terá o seu desejo aflorido. Ele vai querer ter relação com a sua mulher e ela não aceitará (por causa do slogan “homens só pensa em sexo”) e a partir daí o homem começará cometer adultério. Ou seja, o adultério dos homens é provocado pela propaganda feminista e da mídia.

Ocorrerão dois fatores: homossexualismo ou será dominado pelas mulheres. O primeiro ocorrerá quando o homem não consegue arrumar uma namorada ou sofreu decepção amorosa, ele começará a ter pensamentos homossexuais. Pois ele precisa descarregar a sua energia em alguém, se não encontrar uma companheira, ele vai descarregar em alguém, ou seja, num outro homem. 

Depoimentos de homossexuais falam que “é fácil arrumar alguém para sexo, mas namorar homem é muito difícil, eles querem casar e namorar mulheres”. Como vingança joga as mulheres contra os homens através da propaganda, pois “se ele não ficar comigo, não ficará com nenhuma mulher”. 

A segunda etapa exemplifica que, o homem com dificuldade de arrumar uma companheira, ele será “submisso” das mulheres. Com medo da solidão ele será capacho delas, porque elas vão dominá-los através do uso do sexo.

Comédia ou Propaganda Ideológica

Essa prática é muito antiga, desde a época de Roma. Na Grécia antiga, o teatrólogo Aristófanes, realizava peças teatrais, fazendo propaganda, para as mulheres pararem de ter relações sexuais com os seus maridos, visando aumentar o contingente de homossexuais.

Em 2006, na UFRJ da Praia Vermelha, na Urca, fez uma apresentação teatral com nome “Greve se Sexo” do texto de Aristófanes. Na peça as mulheres pararam de ter relações sexuais com os seus maridos e os homens andavam sempre com pênis ereto. Resumindo a história a mulher dominava o homem através do sexo e conseguia tudo que queria. 

Mas muitas das vezes, o tiro sai pela culatra, é quando o homem pega a força a sua mulher para ter relações sexuais ou acaba agredindo-a. Como foi despertado o desejo sexual nos homens, por causa propaganda das feministas e da mídia, o homem começará à trair a sua esposa. O resultado final: AIDS. 

Depois que o homem transmite AIDS para sua esposa, as feministas fazem outra propaganda: “o homem trai e transmite AIDS para a sua esposa”, querendo fazer a cabeça das mulheres para não ter mais relacionamento sexuais com os homens. 

Quando a mulher transmite AIDS para o seu marido, a mídia não divulga ou dão justificativas. “Para as coisas existirem na sociedade tem que ser divulgado pelos meios de comunicação, se não foi divulgado é porque não existe. Por isso, causa uma falsa sensação que as mulheres não transmitem AIDS para os seus maridos”.

A peça teatral “tem um psicanalista na minha cama” de João Bethencourt, com atores Elisangêla Muniz como esposa, Roberto Bataglin como marido e João Camargo interpretando o psicanalista. Na peça mostra a mulher histérica, desconfiada e com ciúmes do marido, que por causa dele acaba louca. O marido é mentiroso, cínico e infiel. 

A atriz Elisangêla Muniz parecia uma pregadora e gritava feita louca para as mulheres dizendo: “mulheres homens não prestam! Eles são mentirosos, cínicos e traidores, tendo varias amantes! Mulheres traem! Traem! Traem!” e dizia a palavra “traem” várias vezes durante a apresentação.
Na peça “Em busca do homem perdido” direção de Ary Coslov com ator David Pinheiro (da escolinha do professor Raimundo). A sua apresentação foi engraçadissima, mas cheio de conteúdo subliminar.Na peça mostrava que os homens são mentirosos, cínicos, traidores, bissexuais, etc, que as mulheres acabavam loucas por causa deles, por isso, era melhor que as mulheres virassem lésbicas, porque elas seriam mais felizes. 

A peça era tão engraçada, que ninguém percebeu o conteúdo subliminar, pois quanto mais engraçada a apresentação, mais o publico absorve as idéias. A comédia é uma arma perfeita para divulgar uma propaganda ideológica, porque as pessoas não vêem maldade no humor. “o humor é uma arma de ataque e defesa de certos grupos”. Esta peça já viajou para todo o Brasil, e esteve presente em 27 países.
Os meios de comunicação, teatro, cinema, etc, possuem efeitos hipnóticos, porque quando o individuo fica sentado vendo e ouvindo e não falam nada, essa pessoa absorverá as idéias, que estão sendo promulgadas.

Hipnotismo significa “sono”, a pessoa fica entre o sono e a vigília, mas ele não dorme, ao contrário, fica consciente. Hipnose significa “atenção concentrada”, tudo aquilo que você presta atenção e ignora os estímulos ao seu redor, a pessoa esta sob estado de hipnose. Por exemplo, quando você dirige o seu carro e de repente chega ao seu destino sem perceber, isso significa que estava sob estado hipnótico.
Quando lava muita roupa e de repente termina o serviço, você estava num estado hipnótico. Por isso, que a mídia, cinema, teatro, rádio, etc exercem poder sobre as pessoas. Por isso tem que haver uma lei severa para o controle de informações. 

Cooptação e Aborto

Os cientistas, professores universitários, cineastas, jornalistas, pesquisadores, etc, passam por processo de cooptação, em que recebem vantagem e privilégios, em troca não defender interesses da classe social e sim interesses dos poderosos. 

As sociedades acreditam nas instituições de pesquisas do governo, falam que é um órgão sério e de credibilidade. Quando falam “estudo mostram...”, “pesquisas realizadas pelos cientistas comprovam...” todo mundo acredita. 

Mas não mostram como foi realizada a pesquisa e a quem perguntou. Por exemplo, “a sociedade é favor da pena de morte”, mas depende onde fez essa pesquisa e para quem perguntou. Se perguntar para os ricos, claro que vão ser a favor, mas se perguntar para a população carente, claro que vai ser contra. Por isso, as pesquisas realizadas pelo governo não são confiáveis. 

Por isso, esses pseudo intelectuais, tem medo da volta da censura e muitas das vezes perseguem e difamam aqueles que defendem a volta da censura.
A pressão psicológica é uma das formas mais interessantes de controle. Jogos psicológicos, violência, assassinato, fenômenos naturais, medo, pavor, etc, são técnicas de controle de mente, fazendo a sociedade perder o senso crítico, absorvendo as idéias, tornando-se submisso e obediente. 

Mas quando não conseguem o monopólio das informações, as feministas procuram ridicularizar as mensagens opostas, dos seus adversários, sempre usando o termo “machista”, com slogan: “a sociedade brasileira é machista”, “Brasil é maior país machista do mundo” objetivando banalizar as informações e fazendo cair no esquecimento do público, as opiniões dos seus opositores. 

Por exemplo, no Dia dos Trabalhadores de 2008, todas as emissoras de televisão, exibiram uma matéria sobre a legalização do aborto, dizendo: “jovens de 20 a 29 anos, maioria católicas já fizeram aborto e usam métodos anticoncepcionais. No Brasil nos últimos 20 anos, 4 milhões de mulheres já fizeram aborto”.
Depois pegaram o depoimento da mulher casada dizendo: “mulher casada, com situação estável e católica fez aborto, porque o filho iria prejudicar a vida financeira do casal”. 

Isso é uma técnica de contra propaganda, visando ridicularizar as igrejas católicas, evangélicas e todos aqueles que são contra o aborto. É uma forma de persuasão das feministas para incentivarem as mulheres fazerem o aborto. Existem muitas feministas que estão negando a maternidade e tomam até remédios para não menstruarem. Querendo tornar igual aos homens. 

A partir dos anos 60, nos E.U.A e na Europa multiplicaram grupos organizados do feminismo na política. Uma das suas maiores “conquistas” foi a legalização do aborto. 

Também neste período houve um aumento significativo da literatura, ciência e ficção sobre as mulheres. Cresceram e multiplicaram os periódicos, tais como jornais, revistas, panfletos, etc a respeito das feministas, assim elas ganharam poder político. 

No mesmo período, no Brasil as feministas não conseguiram a legalização do aborto. Para alcançar os seus objetivos fazem uma propaganda massiva dizendo que a mulher é inferiorizada na sociedade brasileira, para que a população ceda à vontade delas.

Muitos eleitores já falam que nunca votariam numa mulher para política, porque elas são a favor do aborto e as suas leis beneficiam as mulheres e não os homens.
Muitas vezes a contrapropaganda usa a técnica do temor, alegando que o aborto é uma questão de saúde publica. Alegam que as pesquisas de células troncas com embriões, que os pobres voltarão andar. Então criaram o slogan: “se você não voltar andar, a culpa é da igreja”, “só os ricos poderão se tratar no exterior”.
Fazem uma falsa propaganda, alegando que todo mundo, inclusive os pobres terão acesso ao tratamento de células troncas. Uma pergunta, se não existe atendimento decente nos hospitais públicos, pessoas morrem de infecção hospitalar, como o pobre terá acesso ao tratamento, se ainda a população esta morrendo de dengue? 

Em assuntos relacionados em ciência e tecnologia, ninguém pode impedir o seu desenvolvimento, nem mesmo os religiosos. Os dois estão acima de tudo, ou seja, os cientistas não vão parar as pesquisas, por causa de opinião dos religiosos. Então fazem uma propaganda para jogar a sociedade contra a religião. 

Com isso as feministas pegam “carona” dos cientistas, esquecendo de explicar que, as mulheres que já fizeram aborto, sofrem de terríveis traumas. Então a propaganda a favor do aborto, disseminada na sociedade através dos meios de comunicação e repetidas várias vezes, direta ou indiretamente nas diversas instituições sociais, reforçando assim a sua ideologia. 

As propagandas atingiram todas as classes, instituições políticas, escolas, universidades, nas famílias, no trabalho, fazendo todo mundo pensar igual. É fácil manipular a opinião pública, pois as pessoas tendem repetir aquilo que viu e ouviu, sem ter certeza. É a famosa frase: “ouve o galo cantar e não sabe onde!”, ou seja, a pessoa fala, mas não sabe de onde vem.

O lugar perfeito para propaganda de um grupo se dá através das instituições de ensino. Nas escolas e universidades não foram feitas para educar as pessoas e sim “formação de quadrilha”, porque o aluno tem que escrever e falar aquilo que o professor impõe, formando assim milhares de pequenos exércitos por ano, que defendam a ideologia dos professores, que foram manipulados por uma propaganda ideológica. 

Atualmente os sistemas educacionais atacam diretamente as religiões, tornando a sociedade mais cética e o resultado de tudo isso: violência, gravidez na adolescência, aborto, etc, porque a religião é a única referência para o homem, destruindo-a o ser humano fica perdido e perde a referência de tudo.
Ser Feminina é Ato de Submissão

A feminista Simone Beauvouir: “não se nasce mulher, torna-se mulher” O masculino e o feminino são criações culturais, que coloca a mulher como vitima ao longo da história.

Para as feministas fanáticas, ser “feminina” é um ato de inferioridade e submissão da mulher, criticando o sistema educacional entre homens e mulheres. As feministas falam que são ensinadas para as menininhas que devem ser dóceis, obedientes, passiva e dependente. Que os meninos são ensinados a serem agressivos, competitivos, ativos e independentes. Mas, de certo modo elas estão “certas”, mas esqueceram de especificar, que isso foi ensinado para o homem ser assim, para sustentar a sua família. 

Se a mulher quiser igualar ao mesmo comportamento do homem, ela deixará de ser feminina e o homem não estará tendo relações com uma mulher, mas com um homem. Ela não será carinhosa, afetiva, educada e principalmente se comportar como uma dama.

Para as feministas, ser feminina é um ato de inferioridade e algumas chegam até o extremo de dizer que o cavalheirismo é um modo machista, que o homem quer mostrar que é superior a mulher, que chama isso de “sexismo”, ou seja, um sexo é superior ao outro. 

Por exemplo, quando o homem cede o lugar para a mulher no ônibus, isso seria “sexismo”, porque na mentalidade do homem ela é fraca para viajar de pé, e o homem de pena ceda o lugar. Quando o homem carrega a bolsa pesada da mulher, porque ele quer mostrar que é mais forte que ela.
Essas comparações podem ser absurdas, mas muitas feministas afirmam isso. 

Muitas mulheres são conseguem fazer carinho nos seus companheiros, suas mentes são confusas e abandonam os seus maridos e namorados como um ato de defesa. No fundo elas sentem complexo de inferioridade, para compensar isso, pune o homem, para se sentir especial e no final acabam com séries problemas emocionais e psicológicos. 

Inferioridade sim, no documentário “Traços da Morte” mostra uma operação de uma mulher virando homem e perguntaram-na, porque ela resolveu fazer a tal operação, colocando até mesmo uma prótese de um pênis e ela disse: “estou cansada de ser inferior, quero ser sexo forte, quero ser homem”. 

Absurdas em parte, muitas mulheres se sentem inferiores, por não ter um pênis e invejam os homens que podem urinar de pé em qualquer lugar. Muitos filmes pornôs, as mulheres são ativas e os homens são passivos, pois as mulheres usam objetos nos homens, para ela se sentir mais masculinizada.
Falam que os homens são machistas, porque não querem demonstrar as suas fraquezas, emoções e que não choram. Mas quando os homens demonstram esses comportamentos, são severamente criticados por elas, muitas das vezes ridicularizando-os. 

O slogan “luta das mulheres contra a opressão”, não precisa dizer “masculino”, porque não há outra opção. Colocando-se como vitimas sofredoras e oprimidas, coloca os homens como vilões. Muitas delas defendem o aborto e coloca a maternidade como algo inferior e atrasante na vida da mulher. 

Mal elas sabem que abrindo mão do poder da maternidade, (que é o maior poder que existe na civilização humana) elas estão se tornando mais fracas e paranóicas. Em nome da “liberdade” e da “conquista” a maternidade é um dom jogado no lixo. 

“As feministas usam palavrões e palavras de baixo escalão nas suas mensagens. Todas adoram chamar de burros aqueles que não concordam e usam ofensas altamente preconceituosas”. 

Muitas tentam manipular as outras mulheres (a mais novas, que ainda não foram contaminadas) que a paternidade não é importante na vida de uma criança, pois a maternidade supraria a presença do homem.
Uma pesquisa realizada nas prisões brasileiras, perguntaram para os presos uma palavra importante. Muitos responderam “amor”, “natureza”, “mãe”, etc, mas ninguém falou a palavra “pai”. 

Isso significa que a presença da paternidade é importante para o desenvolvimento do bem estar da criança. Muitos falam: “mãe é uma só, pai pode ser qualquer um”, isso é um grande equivoco, pois: “mãe é uma, mas pai também é único”. 

Na Internet e principalmente no orkut, se vê muita manifestação de ódio contra os homens. Depoimentos como: “eu quero pessoalmente matar com as minhas próprias mãos qualquer um que é contra o aborto. Eu quero que ele vá para a prisão e seja estrupado até que ele se mate”. E ainda diz que mataria se tivesse filho homem: “meninas evocam mais carinho do que os meninos, que eu vejo como pequenos demônios”.
Isso faz lembrar das guerreiras amazonas, na antiga Grécia, que elas matavam quando tinha filho homem, pois o mundo seria dominado pelas mulheres. 

Tinham objetivos de mostrar a “verdade” que eles não conseguiram enxergar. A paz delas era conquistada através do conflito, sem respeitar as diferenças culturais e sociais do mundo real. Mas no final descobriram que suas idéias eram ultrapassadas e distorcidas, que foram manipuladas por uma mulher que queria apenas o poder, que conquistou através delas. Todas elas acabaram loucas e acabaram se destruindo por si só.

Muitas delas defendem a tese que não precisa de homem para se reproduzir, porque existe banco de esperma. Mas, aonde elas chegariam, se os homens parassem de doar os seus espermas? Como elas ficariam psicologicamente? 

As feminazistas são na realidade lésbicas, ex prostitutas, velhas e são ao mesmo tempo androfóbicas, heterofóbicas e egocêntricas. Até mesmo as lésbicas legais (que faz papel de homem) estão sendo vitimas das mulheres. Pois cientificamente comprovado que 100% dos homofobicos são gays e não heteros. 

A cada passo as feministas elas se preocupam em comover os legisladores para criar cada vez mais leis ao seu favor, tal como a criminalização do machismo, sendo que segundo os mesmos, sua definição gira em torno de qualquer critica ao seu gênero. “Não querem direito iguais, e sim direitos exclusivos”. 

Nos E.U.A qualquer queixa de uma mulher faz contra o homem, ele será taxado como terrorista. O termo é usado em crime de violência domestica para descrever alguém, que coloca no outro em estado de medo, de abuso iminente, por uso de linguagem ameaçadora, mesmo que não haja violência física.

O nome dessa organização se chama WEAVE, Mulheres Escapando de um Ambiente Violento. Essas feministas tornaram membros de uma classe politicamente intocável e torna muito difícil o homem vencer no tribunal. O acusado terá que fazer cursos de controle de raiva, uma espécie de reeducação, uma doutrinação que ensina os homens serem submissos as mulheres. 

Os homens que negam as suas culpas são ridicularizados e zombados pela diretora e ainda eram ameaçados de mandá-los de volta para a cadeia. Futuramente isso acontecerá com os homens brasileiros com a Lei Maria da Penha.
Igreja Universal, Aborto e Taxa de Natalidade

A Igreja Universal do Reino de Deus, no dia 9 de maio de 2008, no programa “Fala que Te Escuto” com o tema: “Filhos... melhor não tê-los, mas se não os temos, como sabê-lo? Nos dias atuais, já não deu para saber?”. 

O programa foi apresentado pelo bispos Clodomir Santos e Adilson Silva, usando a técnica do temor, mostrou cenas de mortes, enterros, vícios, suicídios, depressão, etc, tudo para convencer a sociedade para não terem mais filhos. Colocou depoimentos de mães que perderam os seus filhos, que estão usando drogas e bebidas, e rebeldia. 

Mostrando cenas de mortes, como acidente de moto, sepultamento das vitimas, com um fundo musical triste, sempre perguntando aos telespectadores “vale a pena ter filho num mundo assim?”.
Ligaram para o programa mulheres dizendo que não iria ter filho, porque iria prejudicar a sua vida profissional. Os bispos pareciam que estavam incentivando as mulheres a não terem filhos, colocando o mundo como frio e cruel, e se tiver filhos, que a pessoa não conseguiria controlá-los. Eles estavam abordando somente um lado da moeda, porque não abordar os filhos que dão orgulho para os pais. 

O bispo Clodomir disse que, quando uma mulher coloca uma criança no mundo, também esta colocando uma alma e pergunta aos telespectadores “quem garante se essa criança quando adulta, terá a sua alma salva? No mundo atual, que é melhor não tê-los. Filhos para que?”. Dando a entender que o seu filho não irá prestar quando crescer. 

No dia 12 de maio de 2008, a igreja no programa “Fala que te Escuto” com tema: “Filhos: é mais inteligente planejá-los ou atribuir toda a concepção como vontade divina”. Falando sobre a gravidez indesejada da mulher, pais que espancam os seus filhos e vice-versa, mães que abandonam os seus filhos, e mulheres pobres que tem vários filhos, que seriam sido melhor se ela tivesse abortado. Pegou depoimentos de crianças que estão tristes por sua situação, que estão abandonadas em orfanatos, em que não conhecem os seus pais, tudo para comover a opinião pública.

Atribuiu todo o problema da sociedade por falta de controle da taxa de natalidade. O programa mostrou que, em São Paulo existe um lugar chamado “Cracolândia”, que crianças e adolescentes consomem “crack” durante a luz do dia. Contou uma historia triste de duas irmãs, que são usuárias de drogas, que a própria mãe acorrentou as duas filhas para não usarem drogas. Então ligaram pessoas para defender o aborto ou tem que fazer planejamento familiar. 

Uma mulher ligou dizendo que fez planejamento familiar, que não faltava nada para o seu filho, mas estava separado do marido, mas ele acompanhava a vida do filho. Mas, o bispo Clodomir criticou severamente a mulher, que ela foi abandonada pelo marido, (mesmo ele dando tudo para o filho), que a criança era infeliz, porque o pai estava ausente, então era melhor que não tivesse filhos. 

Uma mulher casada ligou e disse que ela e o seu marido não iriam ter filhos, porque as crianças no futuro iriam dar problemas, como abandono de pais, rebeldia e vícios.Os bispos até apelaram para o caso de Isabele Nardoni, que no futuro os pais por não gostar do filho, poderiam até mesmo matar a criança. Que era melhor não ter filhos. 

Uma mulher ligou dizendo que filho era uma concepção de Deus, o bispo Clodomir se irritou seriamente, perguntando “uma criança abandonada na rua, isso é vontade de Deus?”, “Jovens usando drogas é vontade de Deus”, com um ar agressivo. A mulher respondeu: “apesar de tudo isso, filhos ainda são uma concepção e vontade de Deus”. Ai ele ficou mais irritado ainda. 

Depois que falou com a mulher, o bispo Clodomir criticou severamente os católicos e evangélicos, quando dizem as passagens bíblicas: “que os filhos são herança do senhor”, “crescei – vós e multiplicai-vos”. Ele estava totalmente nervoso, dizendo que na época bíblica, isso era necessário por questões de sobrevivência, que não se aplica nos dias atuais. Criticou as religiões que são contra o controle de natalidade
Reforçando o Preconceito

A Igreja Universal do Reino de Deus, no programa “fala que te escuto”, apresentado por Clodomir Santos e Adilson Silva, no dia 15 de maio de 2008, com o tema: “virgem é para casar, moça fácil é pra zoar. Os homens pensam assim, quando vale mais a integridade do hímen ou a conduta social da mulher”.
O programa afirmava que na concepção do homem, as mulheres fáceis são aquelas que saem com vários homens. Querendo dizer que os homens preferem casar com as mulheres virgens e as moças que não são, ficarão sozinhas. 

Que na Europa, as mulheres que perderam a sua virgindade, estão fazendo himemplastia, que é restauração do hímen através da operação plástica, que elas estão fazendo isso, para ser aceita pelos homens. No Brasil, as mulheres brasileiras estariam fazendo à mesma coisa. Pegou até mesmo o depoimento da Ângela Bismarck, que fez a tal operação. 

Se racionalizar, isso não tem sentido, a mulher perdeu a sua virgindade e vai recuperá-la de volta através da operação plástica? A matéria disse que, as moças virgens sofrem pressões para perder a virgindade, mas esqueceram de especificar que isso é pior nos homens. 

Pegaram depoimentos das mulheres nas ruas, perguntando: “os homens preferem as virgens” e elas dizeram que “não”, que nos dias atuais os homens não dão preferência para isso. Depois pegaram o depoimento dos homens, perguntando: “vocês preferem moças virgens” e eles foram induzidos para responder que “sim”.
Mostraram uma micareta e mostrou um rapaz que pegou sete mulheres em 30 minutos, fazendo uma imagem negativa do homem. O rapaz beijava várias mulheres, dando a impressão que beijar um homem é uma coisa nojenta, que as mulheres não deveriam beijá-los. 

A Igreja Universal e as feministas pegam o pior tipo de homem para comparar todos os outros homens. Não entrevistam homens sérios com integridade, fazem justamente ao contrário, pegam somente pessoas do sexo masculino, ignorantes, bobos e infantis, criando assim na mentalidade das mulheres, que os homens são seres inferiores, cruéis e sem sentimentos.

Só foram entrevistadas pelo telefone mulheres altamente selecionadas, médicas, advogadas, assistente social, jornalista, etc, para causar mais impacto. Todas elas argumentaram e aconselharam para as moças mais novas, a não se envolverem com homens, que eles vão abandoná-las depois que chegarem os seus objetivos. 

“Certa vez, o programa estava dedicando a falar mal dos homens, liguei dando depoimento forte a favor dos homens e não me colocaram no ar. Só falaram pessoas que estavam contra os homens”. Ou seja, o programa é pura manipulação, só falam pessoas, que estão de acordo com a sua ideologia. 

A história principal é ou não casar virgem, o problema que essas matérias aumentam a discriminação contra os homens, dificultando mais ainda as relações entre os sexos opostos. A conseqüência disso muitas mulheres e homens sofrerão depressão e ansiedade.

CONCLUSÃO
O tema foi escolhido por várias observações minhas o que esta acontecendo na sociedade. Várias pessoas já viraram mendigos, viciados e bêbados, por causa de separações, brigas, suicídios na família, etc. Teve haver na sociedade uma campanha de conscientização e procurar promover uma lei que haja um certo controle de informações vinculados por meios de comunicações, não colocando na sociedade sentimentos negativos, como insegurança, medo, duvida, que pára de jogar as pessoas umas contra as outras, principalmente nas relações homens e mulheres. Tanto homens e mulheres estão traumatizados, por questões culturais é impossível jogar o homem contra a mulher, então fica mais fácil jogar a mulher contra o homem, que no final das contas, acaba afetando os dois.

Nenhum comentário:

Postar um comentário